Das trevas para a luz

Muitos dizem que conhecem a Deus, mas não vivem aquilo que Ele pregou, chamam-no de rei, mas não vivem como servos.

Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar com QR CODE

"Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo.” (1Jo 2:1).

Deus é amor e perdoa todos aqueles que se arrependem dos seus pecados, mesmo aqueles aparentemente imperdoáveis aos olhos dos homens e condenados pela sociedade; não há pecado que não possa ser perdoado por Deus, por intermédio de Jesus Cristo, pois nenhum pecado está acima da grandeza do Seu amor e misericórdia.

O fato é que, sem Deus, somos guiados apenas pelos nossos instintos e levados pela cultura deste mundo — o qual jaz no maligno —, mas depois que conhecemos a Cristo, tudo se faz novo. Todavia, “aquele que diz ‘eu o conheço’, e não guarda os Seus mandamentos, é mentiroso”; afinal, se andarmos nas trevas, como poderemos dizer que somos da luz? Quem, de fato, conhece a Jesus, tem sua vida transformada pelo amor.

No entanto, alguém poderia dizer que somos todos iguais e a ninguém podemos julgar, até porque o joio é muito parecido com o trigo, mas tem algo que o joio é incapaz de fazer: amar. Por isso mesmo, é impossível servir a Jesus sem o amor.

Ou seja, graças à obra redentora de Cristo, podemos sempre contar com o perdão do Pai, e graças à ação do Espírito Santo, podemos rejeitar os nossos impulsos, mudar de direção e caminhar na luz. Aquele, porém, que diz estar na luz, e odeia a seu irmão, permanece nas trevas. Assim, aquele que está em Cristo deve procurar andar como Ele andou, viver como Ele viveu e amar como Ele amou. Servir a Cristo é, acima de tudo, vivenciar o amor; é se importar com os pequenos, é demonstrar misericórdia, é exercitar o perdão, a empatia, a compaixão, etc.

Postagem original: Das trevas para a luz.

Comentários