Por que devemos nos congregar?

Alguns aspectos e motivos relevantes para a nossa participação na igreja.

Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar com QR CODE

Depois de apresentarmos algumas argumentações acerca da importância do templo dentro do conceito de igreja local, destacamos a seguir, alguns aspectos e motivos relevantes para a participação do crente na congregação — pois mesmo entendendo o significado de igreja, não podemos simplesmente invalidar a necessidade que temos de nos reunir no espaço físico denominado templo.

1. A salvação. “Pois um dia nos teus átrios vale mais que mil; prefiro estar à porta da casa do meu Deus, a permanecer nas tendas da perversidade.” (Sl 84:10). Sendo salvo, certamente você sentirá o desejo de se congregar e estar entre os irmãos; mas onde eles estarão reunidos? Na igreja, o local que tem estrutura física para isso. Todavia, bem sabemos que igreja não salva; mas se você é salvo, certamente vai querer participar da igreja. A salvação nos torna cidadãos celestiais, e isto significa que não pertencemos mais a este mundo; isto se dá graças ao processo de santificação que inicia-se aqui e continua na Glória, onde chegaremos à estatura perfeita, da qual Cristo é o modelo (Ef 4). Para tanto, precisamos ter parâmetros e exemplos palpáveis de pessoas que, assim como nós, estão inseridas nesse processo. “Por isso exortai-vos uns aos outros, e edificai-vos uns aos outros” (1Ts 5:11).

2. Há uma ordem bíblica pra isso. “Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns” (Hb 10:25). Nos textos bíblicos, especialmente nas cartas de Paulo, encontramos instruções específicas sobre os requisitos e encargos das lideranças (1Tm 3), assim como orientações direcionadas a toda a congregação mostrando que a igreja é um corpo onde os membros trabalham em unidade, cada um fazendo a sua parte e contribuindo para o todo (1Co 12). Assim, um exorta, outro ensina, outro evangeliza, outro canta, outro toca, etc. Além disso, o princípio de se congregar é mostrado inclusive por Jesus, que ia às sinagogas e participava de ajuntamentos. Então, não podemos simplesmente deixar de nos congregar; há uma ordem expressa para isso, e o local onde nos congregamos é na igreja.

3. Adoração coletiva pública. Com seus ajuntamentos, a igreja expressa publicamente a adoração comunitária. É claro que você pode orar e louvar a Deus sozinho, em secreto; pode fazer isso com outra pessoa, como Paulo e Silas na prisão, mas há também o aspecto da adoração em conjunto. No Antigo Testamento, vemos Davi preparando músicos e convocando o povo para louvar a Deus, inclusive em voz alta (1Cr 15:16,25); Josafá preparou o povo para cantar e, rendendo graças ao Senhor, derrotou um exército (2Cr 20:21), e quando Pedro foi preso, a igreja permaneceu junta orando intensamente por ele (At 12:5). Ou seja, o aspecto da adoração coletiva é importante e ocorre em um mesmo local; hoje, não nos montes, em cavernas ou nas casas, mas nos templos. Além disso, há ainda o partir do pão; a Santa Ceia nos foi dada para que juntos lembrássemos o sacrifício de Cristo.

É tempo de permanecermos unidos e refletirmos sobre o que está acontecendo, pois muitos que não valorizavam a congregação, talvez agora sintam falta dela. Sabemos que há pessoas que passam semanas, até meses, sem aparecer na igreja, e após tudo isso passar, talvez repensem suas prioridades e olhem de forma diferente acerca da comunhão e daquilo que realmente importa. Estar sentado com a família louvando a Deus é muito bom e o momento é propício para isso; então, usemos o tempo com sabedoria, e quando estivermos cultuando ao Senhor, seja no templo ou em casa, louvemos e adoremos, juntos, com a devida reverência que o Senhor merece.

Resumindo o que foi dito, devemos nos congregar sim, pois somos salvos, há uma ordem expressa nesse sentido e precisamos adorar ao Senhor publicamente; seja no templo ou em espaços abertos, precisamos valorizar a congregação enquanto igreja local e reconhecer a importância da comunhão. A Igreja é visível, pública e presente, não em figura, mas em verdade, e os que estão em Cristo nela estarão.

Postagem original: Motivos da nossa participação no templo

Comentários

Publicações de Jerfferson Nascimento

Foto: Vencedor x Perdedor - Qual o seu perfil?

Vencedor x Perdedor - Qual o seu perfil?

Foto: Uma carreira cheia de obstáculos

Uma carreira cheia de obstáculos

Foto: Mais do que vencedores

Mais do que vencedores

Foto: Pai é quem cria

Pai é quem cria

Foto: Cooperando em meio à crise

Cooperando em meio à crise

Foto: Testemunho cristão

Testemunho cristão

Foto: Não deixe de crer

Não deixe de crer

Foto: Das trevas para a luz

Das trevas para a luz

Foto: Onde está o nosso socorro?

Onde está o nosso socorro?

Foto: Buscai as coisas lá do alto

Buscai as coisas lá do alto

Foto: Gratidão em meio à pandemia?

Gratidão em meio à pandemia?

Foto: Quem é Jesus pra você?

Quem é Jesus pra você?

Foto: CORDEL DA ORAÇÃO

CORDEL DA ORAÇÃO

Foto: Senhor, ensina-nos a orar

Senhor, ensina-nos a orar

Foto: O cultivo da fé e seus benefícios

O cultivo da fé e seus benefícios

Foto: Como enfrentar os momentos de angústia?

Como enfrentar os momentos de angústia?

Foto: Cordel: Jesus acalma o mar

Cordel: Jesus acalma o mar

Foto: O que a salvação faz pelo homem?

O que a salvação faz pelo homem?

Foto: Por que devemos nos congregar?

Por que devemos nos congregar?

Foto: Será que precisamos de templos?

Será que precisamos de templos?

Foto: Soteriologia: As Consequências da Salvação

Soteriologia: As Consequências da Salvação

Foto: Coronavírus: Basta ter fé?

Coronavírus: Basta ter fé?

Foto: Pandemia: Uma luz em meio em meio às trevas

Pandemia: Uma luz em meio em meio às trevas

Foto: A multiplicação dos pães e suas lições

A multiplicação dos pães e suas lições

Foto: O fim é melhor do que o começo

O fim é melhor do que o começo

Foto: Salmo 126 - Alegria, Esperança e Renovação

Salmo 126 - Alegria, Esperança e Renovação

Foto: Ânimo e Esperança

Ânimo e Esperança

Foto: A Renovação e a Saúde da Alma

A Renovação e a Saúde da Alma