Mossoró passa a integrar Campanha Sinal Vermelho para a Violência

Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar com QR CODE
Foto: Prefeitura de Mossoró
Foto: Prefeitura de Mossoró

A Prefeitura de Mossoró passou a integrar a Campanha Sinal Vermelho para a Violência no Rio Grande do Norte. O evento foi lançado na tarde desta sexta-feira, 14, por meio da plataforma Zoom, em uma reunião com participação da deputada federal Carla Dixon e com a governadora Fátima Bezerra, além de outros participantes.

A prefeita Rosalba Ciarlini destacou que a história da mulher mossorense é marcada pelo grito de liberdade. “Nossa vontade é ampliar, fazer chegar cada vez mais a conscientização, não só para as mulheres, mas também para os homens, de uma política de paz se faz protegendo e defendendo a integridade da mulher e fazendo com que ela possa ter a sua cidadania com dignidade”, afirmou.

Rosalba lembrou ainda que em Mossoró essa política acontece com ações integradas entre diversas Secretarias. “Aqui implantamos o primeiro Centro de Referência da Mulher do Rio Grande do Norte, e esse trabalho integrado só alcançará uma dimensão ampla se todos nós entendermos que somos peças essenciais nesse quebra-cabeça”, continuou.

A campanha Sinal Vermelho é realizada através de parceria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), cuja adesão ocorreu por meio da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres (SNPM), o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).

A prefeita Rosalba Ciarlini também falou sobre a implantação da Casa da Mulher Brasileira, sendo Mossoró a primeira cidade do estado a receber o equipamento que foi instituído no país pelo Decreto nº 8.086, de agosto de 2013, com objetivo de oferecer atendimento humanizado às mulheres vítimas ou ameaçadas de violência doméstica.

O programa integra, no mesmo espaço, serviços especializados para os mais diversos tipos de violência contra as mulheres: acolhimento e triagem, apoio psicossocial, delegacia, Juizado, Ministério Público, Defensoria Pública, promoção da autonomia econômica e cuidados para os filhos.

Fonte: Prefeitura de Natal