Vídeo mostra patroa deixando sozinho em elevador menino que morreu ao cair do nono andar em PE

O menino Miguel Otávio faleceu após cair do 9º andar do edifício onde a mãe trabalhava como doméstica

Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar com QR CODE
Foto: Print do vídeo

Uma tragédia ocorrida no Recife, Pernambuco, vem gerando polêmica nas redes sociais. O menino Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos, passava o dia com a mãe, Mirtes Renata, em seu trabalho em um prédio no centro da capital pernambucana. Miguel acabou caindo do 9º andar do prédio e vindo a óbito logo em seguida. De acordo com o G1, em dado momento, a doméstica teria levado o cachorro da família para passear, deixando o filho na companhia da patroa, Sari Gaspar Corte Real. O menino teria começado a chorar chamando pela mãe, tentando sair do apartamento e ir ao seu encontro. Segundo a coluna de Hugo Gloss, imagens de câmeras mostram o momento em que Sari deixa o menino sozinho dentro do elevador do edifício, apertando botões do equipamento.

Miguel Otávio acabou subindo na área dos aparelhos de ar-condicionado, de onde teria caído de uma altura de mais de 30 metros. Sari Corte foi autuada por homicídio culposo. De acordo com a Polícia, a mulher teria a responsabilidade de "guarda momentânea" da criança, na ausência de sua mãe.

Delegado fala sobre a morte do menino

Ainda de acordo com a coluna de Hugo Gloss, o delegado responsável pelo caso, Ramón Teixeira, as investigações tiveram por base imagens de câmeras de segurança do edifício. Teixeira afirmou que através das imagens, a polícia pôde perceber que Sari Corte aperta botões do elevador, deixando Miguel Otávio sozinho. A criança teria subido quatro andares e se debruçado em uma grade de proteção.

Ainda segundo o delegado, foi possível ver que o menino gritava pela mãe no momento da queda.

Ramón ressaltou, ainda, que apesar do evento ter ocorrido de forma acidental, a responsabilidade adveio do título de culpa, e que, apesar de não haver intenção na morte da criança, a negligência de Sari colaborou para a morte do menino.

O delegado afirmou que como a lei permite fiança neste caso, a mulher pagou o valor de R$ 20 mil reais e foi liberada. O inquérito demorará cerca de 30 dias para ser concluído. Sari Gaspar Corte Real é esposa do prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker. Segundo informações dos familiares da criança, o casal esteve na cerimônia de sepultamento em Recife.